julho 3, 2009

O Ritual de Coroação na Umbanda

Posted in 7 Linhas Sagradas, Consagrações de Umbanda, Linhas de Umbanda Sagrada, Ritual de Umbanda às 2:54 am por carolyara

COROAÇÃOEsse tem sido tempos de preparação para a Coroação!

E sendo este um ritual tão bonito e fundamental na vida de qualquer filho de santo, não poderia deixar de falar dele…

A coroação é, sem dúvida nenhuma, uma demonstração de que o médium alcançou um nível aceitável em seu desenvolvimento, importante para um bom trabalho espiritual. Assim, o que o ritual representa é que depois de coroado o médium passa a ter uma responsabilidade ainda maior perante ao seu trabalho e os seus guias. Eu sei que o mais bonito é a consagração, a cerimônia. O exctase e o burbirinho é inevitável, ainda mais para os novos… mas a verdade, que pouca pessoa se lembra é: depois da coroação, o médium já está apto a servir de forma mais assentada as lições dos seus guias e protetores e, assim, seu compromisso de instrumentos dos orixás também se amplia.

Além disso, é graças a firmeza da coroação que o médium preparado pode participar de trabalhos mais pesados, como desmanchar macumba, desobsessões de espíritos raivosos, demandas, entre outros e pode ainda até ajudar no desenvolvimento de médiuns mais novos na casa. Ou seja, é um universo que não só é maior em termos de trabalho mas que, para nós filhos de santo, cresce proporcionalmente também o tipo de seriedade, cuidado e dedicação que temos ter com o que nos propomos a desenvolver.

Note que, até agora, eu não falei nada sobre a coroação e o vínculo com uma formação sacerdotal, por exemplo… porque para ser Babalorixá,  Pai ou Mãe pequenos, ou qualquer outra hierarquia afim, cada casa tem seu mistério e seu rito específico. Uma coisa não confere a ninguém pré-requisito a outra, sob hipótese alguma. Trata-se apenas de um novo estágio que a pessoa alcança em sua evolução mediúnica. E, pessoalmente falando, para mim isso já é uma grande coisa!!!

Mas voltemos o rito em si!

simbolos da umbandaNo dia da coroação, a entidade mentora daquele médium confirma que é seu orixá de frente (normalmente ela já o fez antes da coroação). Cada casa tem seu protocolo nesse dia, mas basicamente, a consagração se dá justamente para esse momento de confirmação de coroa mediúnica, daí o nome do ritual. Em seguida, ela revela (de alguma forma, rs) a falange em que trabalha, ao trazer o caboclo protetor, responsável pelo desenvolvimento mediúnico do filho de santo. E claro, tudo acontece diante do mentor da casa que é quem atesta o ocorrido.

Depois disso, o mentor da casa, num ato simbólico, coloca uma coroa na cabeça do médium incorporado e todos os presentes saúdam a entidade. Assim, o médium coroado torna-se apto a participar dos trabalhos que exigem um maior conhecimento e principalmente um melhor entrelaçamento com suas entidades espirituais. Aí, sob um cântico apropriado para a ocasião, se consagrada todos os caboclos que estão em terra e que são simbolicamente coroados, junto com seus filhos de fé!! E que dançando e bradando, confirmam o novo degrau que a corrente inteira dos médiuns da casa alcançaram juntas, após este momento.

O mais importante é, neste momento, está na conscientização de cada médium da importância do que isso significa. E que ele não perder a jamais consciência de que a humildade deve prevalecer sobre qualquer etapa do seu desenvolvimento; já que, daquele coroação em diante, suas responsabilidades serão ainda maiores!!!
……………………….

Fonte de apoio: http://www.tendacaxana.com.br/index.php?cont=43&id=125
Edição: by Carol Yara.

Meus sinceros agradecimento ao Sandro da Costa Mattos, pelas belíssimas explicações!

abril 13, 2009

Momento de Oração

Posted in 7 Linhas Sagradas, Linhas de Umbanda Sagrada, Preces e orações, Recomendo, Ritual de Umbanda às 12:24 am por carolyara

preceA prece é um instrumento muito bendito criado como comunicação espiritual. Ela não é apenas uma importante parte da liturgia de qualquer doutrina ou religião, mas a tenha também como um momento de pura expressão da Fé. E, portanto, como tal, não exige complexidade ou grandes extensões em versos… porque o mais vale nessas horas é a nossa condição de sentir o que cada palavras pode estabelecer em termos de canal energético e astral.

Na Umbanda, assim como em muitos outros cultos por ai, a oração também pode servir como fonte de estudo e oração. Saber o que se falam para cada Guia e Orixá, em momentos de rezas e dedicações também são excelentes formas de conhecer um pouco mais sobre cada um. Características, conceitos, atribuições.

Foi pensando nisso que resolvi fazer este apanhado de Oração. Primeiro para registrar um incentivo e um destaque ao valor da prece. Para que mais pessoas possam se utilizar dela em seua dia a dia. Segundo porque aprendi muito com as rezas feitas por outras pessoas, em livros ou em sessões, justamente por carregarem um dos principais preceitos da nossa querida Umbanda: o fundamento. NADA, em Umbanda Sagrada é escolhido de forma aleatória ou sem a devida propriedade. O mesmo, então, acontece com as orações. Lê-las e compreendê-las, deixar-nos tocar por seus apelos e emoções, a medida que os olhos percorrem, distraidamente, suas vistas sobre cada um dos seguintes versos, é -sem dúvida nenuma – um modo muito bonito de sentirmos um pouco mais das vibrações que se alcança dentro da Teogonia Sagrada dos Orixás!

PRECE A OXALÁ
Nosso Pai Bondoso e Misericordioso.  Babá Okê, cacubeká… Meu Pai das Colinas, olhai por nós.  Assim como criastes todos os Orixás, Oxalá-Lufã, Oxalá-Guiã, Deus eterno e criador do Universo Celeste.  Dai-nos a vossa bênção.  Ó Divino Mestre, deixai-nos apoiar em vosso cajado de esperança.  Alá, Babá, Orun… Alá, Orixá… Para que vosso Manto Sagrado possa proteger-nos com vossas bênçãos e benevolências.  Orixá Babá… Olorun Ifé… Exê Eú pá Babá… Axé Babá!

PRECE À IEMANJÁ
Poderosa força das águas.  Inaê, Janaína, Sereia do Mar.  Saravá minha Mãe Iemanjá!  Leva para as profundezas do teu mar sagrado.  Odoiá… Todas as minhas desventuras e infortúnios.  Traz do teu mar todas as forças espirituais para alento de nossas necessidades.  Paz, esperança, Odofiabá… Saravá, minha Mãe Iemanjá! Odofiabá…

PRECE A XANGÔ
Senhor de Oyó.  Pai justiceiro e dos incautos.  Protetor da fé e da harmonia.  Kaô Cabecile do Trovão.  Kaô Cabecile da Justiça.  Kaô Cabecile, meu Pai Xangô.  Morador no alto da pedreira.  Dono de nossos destinos.  Livrai-nos de todos os males.  De todos os inimigos visíveis e invisíveis.  Hoje e sempre, Kaô meu Pai.

PRECE À IANSÃ
Oiá… Oiá… nossos passos.  Iansã, Deusa máxima do Cacurucaia… Bamburucena, Rainha, Mãe e Protetora.  Eparrei nossa mãe Divina.  Deusa divina dos ventos e das tempestades.  Deixa-nos sentir também a tua bonança.  Iansã dos relâmpagos, dá-nos uma faísca da tua graça divina.  Eparrei, Eparrei… Oiá!

PRECE A OGUM
Orixá, protetor, Deus das lutas por um ideal.  Abençoai-me, dai-me forças, fé e esperança.  Senhor Ogum, Deus das guerras e das demandas, livrai-me dos empecilhos e dos meus inimigos.  Abençoai-me neste instante e sempre para que as forças do mal não me atinjam.  Ogum Iê, Cavaleiro Andante dos caminhos que percorremos.  Patacori… Ogum Iê… Ogum meu Pai, vencedor de demandas… Ogum Saravá Ogum… E que assim seja!

PRECE A OXOSSI
Okê… Okê Cavaleiro de Aruanda! Okê… Rei dos Caboclos e das Matas!  Senhor Oxossi, que as suas matas possas estar  repletas de Paz, Harmonia e Bem-Aventurança.  Meu Pai Oxossi, Rei dos Caçadores, não permita que eu me torne uma presa dos malefícios nem dos meus inimigos. Okê, Okê, meu Pai Oxossi! Rei das Matas de Aruanda.  Okê Arô!

PRECE À OXUM
Canto sereno que assobia, nos regatos lagos e cachoeiras.  Senhora faceira de beleza e ternura.  Protetora das crianças e de todos os que necessitam de tua graça.  Mamãe Oxum, Deusa formosa dos rios.  A Mãe das Águas Doces, acolhe-nos em teu seio, proporciona-nos paz e alegria.  Saravá Mamãe Oxum! Ora Iê Ie!

PRECE A OBALUAIÊ-OMULU
Dominador das epidemias.  De todas as doenças e da peste.  Omulu, Senhor da Terra.  Obaluaiê, meu Pai Eterno.  Dai-nos saúde para a nossa mente, dai-nos saúde para nosso corpo.  Refoçai e revigorai nossos espíritos para que possamos enfrentar todos os males e infortúnios da matéria.  Atotô meu Obaluaiê! Atotô meu Velho Pai! Atotô Rei da Terra! Atotô Babá!

PRECE À NANÃ BURUQUÊ
Mãe protetora de todos nós.  Senhora das águas opulentas.  Deusa das chuvas benévolas.  Deixa cair sobre nós a chuva divina da tua bondade fecunda e infinita.  Salubá Nanã Buruquê! Purifica com tuas forças nossa atmosfera para que possamos ser envolvidos pelos teus olhos maravilhosos.  Salubá Nanã Buruquê! Salubá!

PRECE AOS PRETO VELHOS
Meus benditos Pretos e Pretas Velha.  Meus Santos, guias e espíritos protetores.  Mestres divinos da Linha das Almas.. Abençoai esta casa e os meus passos.  Aplacai as forças dos nossos inimigos.  Meus queridos Pretos Velhos, que a sua candura e bondade recaia sobre nó como o véu do divino amor.  Meus Pretos Velhos, dai-nos a fé, a esperança e a felicidade.  Eu adorei as Almas! Saravá, meus Pretos Velhos!

PRECE AOS CABOCLOS
Do sabiá, ao primeiro trinado,
Ergue-se o homem, ainda cansado,
Do sono dormido e que não descansou.
Caminha até a porta, com muito vagar,
E olhando o infinito, se põe a rezar,
A oração do caboclo (dizer o nome do caboclo)
Que a terra ensinou.
Do sol que renasce, o primeiro clarão,
Clareia o caboclo, que de pé no chão,
Vai outra batalha, sozinho enfrentar.
E assim o caboclo, na luta sem fim,
Caminha ao perfume da flor de jasmim,
Rezando a oração que a terra ensinou.

março 18, 2009

PRECE DE ABERTURA DOS TRABALHOS

Posted in Guias e Orixás, Mediunidade, Preces e orações, Ritual de Umbanda às 3:29 am por carolyara

“Pai Misericordioso e Justo, Criador do Universo, lançai as vossas bênçãos sobre os vossos filhos em Vosso Sagrado Nome, vão executar neste terreiro, em benefício dos seus irmãos, também Vossos filhos. Pai Misericordioso e Justo, daí permissão aos Espíritos de Luz, aos Irmãos superiores, aos Anjos, aos Santos, aos Orixás e Chefes de Falange e seus comandados, aos Caboclos e Pretos Velhos, espíritos do mar, dos rios, das fontes e das cachoeiras, a todos os espíritos puros e purificados, que lancem sobre este terreiro as suas irradiações salutares, seus fluidos regeneradores, tudo em benefício dos que aqui vem em busca de alívio, socorro e cura para seus sofrimentos físicos e espirituais. Oxalá, poderoso e chefe de bondade, lançai sobre nós os vossos influídos, infundindo em todos nós a resignação, a boa vontade e a fé para desempenharmos as nossas tarefas. Anjos da guarda, Guias e Protetores, derramai a Vossa influência sobre os médiuns aqui presentes, para que possuídos da vossa energia, possam eles transmiti-la aos irmãos necessitados de amparo. Espíritos de luz, daí aos médiuns a vossa força para que eles a possam transmitir aos irmãos que tanto necessitam recebê-la. Que as forças do Universo, sob a ação dos Irmãos, dos Guias, dos Protetores e dos Anjos da Guarda, venham a se derramar luminosas, benéficas e fortes neste ambiente, para que ele fique completamente iluminado e purificado com o afastamento dos elementos perturbadores da Terra e do Espaço. Que assim seja…”


Aprendi essa prece logo que entrei na Umbanda.

Eu ainda frequentava a assistênica espiritual.

Acho que, o que mais me encantou nela, foi esse sentimento de plenitude.

De coisa coesa, de costura mesmo.

De ver como toda a Magia de Umbanda Sagrada é mais do que dá para olhar.

Gosto do modo como a prece evoca cada Ser e a progressão existente em cada um dEles.

Gosto das sensações que cada palavra me traz quando, ajoelhada, vibro para cada frase.

Principalmente quando dá para sentir alguns trechos de forma até bem literal.

E, de tudo, o que mais me apaixona nesta prece é o poder de sua egrégora.

Por ser a mesma prece, a mesma força, a mesma energia a ser evocada todos os domingos.

Na mesma hora, pelo mesmo espaço de tempo, com a mesma finalidade, há anos.

Por essas e outras que eu, humildemente, aconselho a todos, que caminham na vida espiritual.

Aprendam a rezar… criem suas preces e as repitam com todo coração, até decorar.

Vocês verão a força de que uma egrégora é capaz!

A importância das palmas, do canto e dos tambores na Umbanda

Posted in Assitência Espiritual, Mediunidade, Pontos Cantados, Ritual de Umbanda às 3:03 am por carolyara

Ogãs são os responsáveis pelo canto e pelo toque dos pontos na Umbanda

Ogãs são os responsáveis pelo canto e pelo toque dos pontos na Umbanda.

Neste fim de semana, de retorno as atividades da tenda, novamente, este tema veio muito a tona. A importância de bater palma para acompanhar o toque do atabaque e de cantar as músicas junto com quem comanda os trabalhos.  A energia estava tão densa no começo dos trabalhos e, no geral, as pessoas tão desanimadas que, em um determinado momento, de dentro da gira, até pedi para a assistência ajudar cantando e batendo palmas.

Pensando nisso, me dei conta de como são muitas as culturas que fazem uso da música como forma de se religar com o divino. Não apenas com o som, mas com a dança também. Como expressão sagrada que parece estabelecer, desde os tempos mais remotos, um vínculo mágico e astral com o plano espiritual. E a Umbanda não só reconhece como também faz uso deste mesmo conhecimento primordial. Por isso, a Umbanda também é conhecida como “Magia do Ritmo”.

Todo som produz freqüência de ondas eletromagnéticas que, se vibrada no tom e na cadência certa, pode atingir as mais variadas esferas astrais. Daí a importância dos atabaques (que devem sempre ser recobertos por pele animal e tocado com as mãos), o toque da pele humana (seja dos atabaqueiros, também conhecidos como Ogãs, ou dos presentes, com palmas ritmadas) e os pontos cantados (orações na forma de cântico, com letra e melodia próprias a cada Orixá ou alma trabalhadora da Umbanda).

Assim, se um dia, você estiver de visita a uma casa de Umbanda e lá os trabalhos usarem tambor e palmas, participe!

Doe seu próprio corpo, com palmas e cantos para nos ajudar a não apenas, segurar a corrente espiritual que se sustenta o templo, como também será muito útil no alcance das esferas mais tangíveis do plano espiritual. Com vibrações que estejam em sintonia com os poderes evocados em cada gira.

Não tenha vergonha de soltar a voz. É graça a harmonia das palmas e dos sons que os médiuns se desligam de tudo e concentram-se inteiramente no ritmo dos pontos, facilitando a incorporação de tal forma, que o espírito do médium fica adormecido momentaneamente. Assim, quem quer experimentar um bom atendimento espiritual, com um médium totalmente entregue na incorporação de um guia, o grande segredo é: cada um pode fazer a sua parte. Mantendo os bons pensamentos e integrado na “Magia dos Ritmos da Umbanda”, todos saem ganhando: os médiuns, a casa e, sobretudo, você!